20 de março de 2019

Som e Luz em corpos 2019: veja as datas

Arte com as datas do evento

Foi divulgado o calendário da temporada 2019 do espetáculo “Som e Luz em Corpos”.


Do dia 19 de abril até 29 dezembro São Miguel das Missões ficará ainda mais belo com este espetáculo de arte, dança, expressão corporal e teatro, que se une ao espetáculo de Som e Luz contando a história Missioneira.

Vem conhecer.
Contate-nos e reserve com antecedência sua hospedagem na Pousada das Missões.

7 de março de 2019

Documentário do TCU destaca a história das Missões



Viajamos até São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul, para mostrar um pouco da história desse bem e a importância para a cultura brasileira.




Canção
Gounod Ave Maria for Strings-14494
Artista
Frederic Sans, SACEM
Álbum
KCL3002 Classical Emotions
Licenciado ao YouTube por
AdRev for a 3rd Party, AdRev Masters Admin (em nome de Kosinus Classical|Kapagama, Kosinus|Kosinus (UPPM)); AdRev Publishing, APM (Publishing) e 2 sociedades de direitos musicais

6 de março de 2019

História das Missões Jesuítico-Guarani em destaque nos desfiles de carnaval de São Paulo e Rio de Janeiro

A história missioneira foi contemplada em três desfiles de Escolas de Samba do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Acadêmicos do Tucuruvi, GRES Beija-Flor de Nilópolis e Estação Primeira de Mangueira destacaram em seus desfiles a catequização dos índios, as ruínas de São Miguel e o índio Sepé Tiarajú.


1. O índio Sepé Tiaraju foi um dos herois da resistência destacados pela Estação Primeira de Mangueira no RJ


Com 3500 componentes, a escola verde e rosa apresentou heróis "índios, negros e pobres" que a história não contou, entre eles o guerreiro Sepé Tiaraju, que tentou evitar o massacre dos Guaranis pelas tropas colonizadoras de Portugal e Espanha.

O samba-enredo "Historia para ninar gente grande" trouxe à luz personagens importantes que praticamente não foram abordados pelos livros. Estação Primeira de Magueira homenageou o índio Sepé Tiaraju entre outros herois do país que não está no retrato.

A escola recebeu o prêmio Estandarte de Ouro no dia 5 de março. Em tempo: A escola foi campeã do grupo especial de 2019!

"Brasil, meu dengo
A Mangueira chegou
Com versos que o livro apagou
Desde 1500 tem mais invasão do que descobrimento
Tem sangue retinto pisado
Atrás do herói emoldurado
Mulheres, tamoios, mulatos
Eu quero um país que não está no retrato"

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
Resultado de imagem para ala sepé tiaraju mangueira

Leandro Vieira, carnavalesco da escola, no início da transmissão do desfile em rede nacional disse que o objetivo era apresentar:
“um olhar para a história do Brasil interessado nas páginas ausentes. A história de índios, negros e pobres, heróis populares que não foram para os livros. Gente que a gente não aprende na escola. É a história de Sepé Tiarajú, Cunhambebe, Teresa de Benguela, Dandara e tantos outros que não tiveram protagonismo”.

A referência feita pela Mangueira foi justamente na figura de Sepé. Uma ala inteira levou o nome do líder que tentou evitar o massacre dos Guaranis pelas tropas de Portugal e da Espanha.

Carro da Mangueira na Sapucaí — Foto: Dhavid Normando/Riotur
Foto: Dhavid Normando/Riotur

A escola ainda denunciou de modo contundente o genocídio de diversas etnias indígenas ao longo da história brasileira, do período das Bandeiras até hoje. Denunciou ainda as recentes mudanças realizadas sobre a  Fundação Nacional do Índio (Funai) e sobre a demarcação de terras indígenas.

Carro alegórico "O sangue retinto por trás do herói emoldurado", da Mangueira — Foto: Rodrigo Gorosito/G1

2. Ruínas de São Miguel das Missões foram lembradas no segundo Carro da GRES Beija Flor de Nilópolis no RJ


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre

Com o enredo: “Quem não viu vai ver… As fábulas do Beija-Flor”,  a escola lembrou os seus 70 anos de carnaval e com isso, do desfile campeão do grupo especial do Rio de Janeiro em 2005, o qual teve como enredo os Sete Povos das Missões e que cantava:

"Em nome do Pai, do Filho a Beija-Flor é Guarani
Sete Povos na Fé e na Dor
Sete Missões de amor."

Resultado de imagem para beija flor 2019 carro claudia raia


A escola, que é a atual campeã, foi a quinta a desfilar na madrugada de domingo e fez uma coletânea de seus melhores momentos. O carro abre-alas era uma réplica da fachada das Ruínas de São Miguel das Missões, com a cruz missioneira no topo.


3. A Cruz Missioneira e a catequização dos povos indígenas nativos foram destacados pela Escola Acadêmicos do Tucuruvi em SP


Tema Missões foi abordado no desfile da Acadêmicos do Tucuruvi, escola do grupo especial de São Paulo, que teve como enredo a liberdade dos povos: "LIBERDADE… O GRITO RETUMBANTE DE UM POVO HEROICO"


A escola trouxe, logo após a comissão de frente, a ala “Catequização: Resistir para existir”, a qual trouxe para a avenida uma enorme réplica da Cruz Missioneira. Conforme o carnavalesco Dione Leite, ele procurou construir uma história “desde a chegada dos portugueses ao Brasil (com índios no carro abre-alas) às manifestações na Avenida Paulista, em São Paulo”.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto
Cruz Missioneira estava na comissão de frente da escola. (Foto: reprodução/TV Globo)
 A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Dia do Filatelista: selos com imagens das Missões Jesuítico-Guaranis

Hoje, 5 de março é o dia do Filatelista brasileiro.

As Missões já foram motivo de muitos selos distribuídos nacional e internacional,ente, veja abaixo.